Indústria Criativa - Portfólios online
5 desafios no bodyboard Português

5 desafios no bodyboard Português

21 de Agosto de 2014 às 23h30

É de facto interessante ver as 5 coisas boas no bodyboard Português, mas nem tudo são rosas e muita coisa não está bem e é preciso caminhar muito, num buraco cada vez maior em relação ao bodyboard internacional.

Eventualmente haverá pessoas a discordar, mas as coisas não estão bem, a nível competitivo mais distantes e a nível económico cada vez mais dependentes...

Lançamos os 5 desafios do Bodyboard Português:

1 - Actualmente não temos ninguém a correr o Circuito Mundial de Bodyboard e desde 2010 não temos um resultado de relevo. Há uma preocupação enorme, pois parece que o fosso entre a performance do Bodyboard Internacional está cada vez maior em relação ao Bodyboard Português, e a nossa maior esperança tarda em aparecer na cena internacional. Os actuais Reis do Bodyboard Portugues fizeram um bom trabalho no plano Internacional, mas longe do caminho e resultados alcançados por outros anteriores, que sem dúvida chegaram mais longe, casos do Ratinho e do Rui Ferreira. Este sim, colocaram a fasquia que ainda tem de ser batida. Toca a trabalhar mais.

2 - O Bodyboard feminino Português padece da mesma doença e tarda também em surgir uma nova referência na modalidade, uma nova inspiração, uma nova Dora Gomes, ou Rita Pires, ou Catarina Sousa. Nesta secção não se vislumbra uma esperança de referência que possa continuar o excelente trabalho da Rita e da Catarina. Toca a trabalhar mais.

3 - Fala-se dos jovens Bodyboarders Tugas e são bons de facto comparados com os restantes jovens Bodyboarders Portugueses menos bons, mas será suficiente? E se compararmos com o Tanner McDaniel, ou Tristan Roberts, jovens Australianos e mesmo o David Barbosa. Não se achem os melhores do mundo e não descansem até serem mesmo os melhores, e sobretudo não caiam em elogios fáceis, porque não alcançaram nada. Toca a trabalhar mais.

4 - Falta alma aos clips de Bodyboard e cabe aos Portugueses fazer a diferença. A era das imagens sem fim acabou, a era do porn bodyboard, de uma sequência infindável de ondas surfadas, sem referências, sem comentários, sem história e sem alma tem de acabar, porque no fim não passa de uma colagem de imagens com música de fundo. É preciso começar realmente a criar conteúdos. Toca a trabalhar mais.

5 - É preciso de mudar a mentalidade, de trabalharmos para os outros verem e para ter mais patrocínios que o vizinho. Enquanto não mudarmos de "mindset" vamos continuar a fazer o caminho que os outros querem. Fazer Bodyboard porque sim, pelo prazer do momento e de alcançar o topo mundial, deixar de lado as posses e libertar a complexidade de um não resultado.

Via: Palavras de Sal

Registar Conta InsideBB

Registar Conta InsideBB

Conta InsideBB

Recuperar password

Recuperar Password